Sexta, 24 de Junho de 2022
27°

Nuvens esparsas

Salvador - BA

Bahia Bahia

Veja os 18 trechos onde é preciso mais cuidado em estradas federais da Bahia

Infrações nessas vias podem ser fatais; Especialista dá dicas para evitar acidentes durante o São João

22/06/2022 às 11h01
Por: Lohan Santana
Compartilhe:
Foto: Arisson Marinho/CORREIO
Foto: Arisson Marinho/CORREIO

Na Bahia, é assim: se tem São João, tem pé na estrada. Nas rodovias, os veículos se multiplicam a caminho dos destinos mais tradicionais do período junino. Tanto é que, de acordo com a ViaBahia, em 2022, a BR-324, que corta o estado, deve receber um fluxo de quase 290 mil veículos durante a festa, 45% a mais do que é comum no restante do ano. Para estas centenas de milhares de motoristas, não faltam motivos para seguir viagem em alerta. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), existem 18 trechos das vias baianas que demandam atenção extra para evitar acidentes que podem estragar os festejos.

Seja por estarem localizados em região de serra, áreas com alta movimentação, por serem perímetros urbanos ou com um volume grande de veículos longos trafegando, essas regiões oferecem risco para quem pega a estrada. No período junino, ainda mais. A PRF aponta que, em 2019, última vez que a festa ocorreu, sete pessoas morreram e 66 ficaram feridas em 63 acidentes de 20 a 25 de junho, o que faz do São João o momento mais perigoso nas estradas do estado. 

A estatística de acidentes e vítimas fatais, inclusive, vem em uma crescente. Em 2017, foram 57 acidentes e quatro mortes. Em 2018, 30 ocorrências e quatro óbitos. Por isso, é importante saber quais são os trechos mais perigosos. (Veja a lista completa no fim do texto)

Temor dos motoristas

Nos trechos citados pela PRF como perigosos por serem localizados em serras, estão estradas que passam por cidades como Santa Bárbara (BR-116, Km 545), Jaguaquara (BR-116, Km 648), por exemplo. Esses são os que o produtor rural Odair Nascimento, 47, mais teme. "A BR-101, que liga Itabuna à Salvador, no trecho depois da cidade de Tancredo Neves, também tem uma serra perigosa. A estrada não é dupla e, do lado direito, tem uma ribanceira. Na hora de passar, tem que ir bem devagar. É daquelas bem complicadas, principalmente, pra quem não conhece", fala ele, que diz temer pela vida de motoristas que possam passar na área sob efeito de álcool.

A preocupação de Odair é legítima. No último feriado de Corpus Christi, a PRF registrou um aumento de mais de 1.187% no número de motoristas que foram pegos no teste do bafômetro nas rodovias federais que cortam a Bahia. No período, 109 condutores foram autuados por alcoolemia ao volante. Os números têm um acréscimo alto em relação ao feriado do ano passado, quando foram contabilizados sete motoristas alcoolizados.

Mesmo cumprindo a lei e dirigindo sem efeito de álcool, os motoristas ainda têm motivos para se preocupar, como os perímetros urbanos que tem muita movimentação de pessoas. A PRF cita seis desses na lista. O trecho entre o Km 364 e Km 355, que fica ao redor da cidade de Serrinha, é o que mais preocupa o administrador Pablo Bruno Alves, 40. "O trecho da BR-116 que liga Feira de Santana a Serrinha, que é uma cidade de muita movimentação no São João, tem um fluxo gigante de caminhões e carros grandes. Além de algumas curvas perigosas, que pedem uma atenção muito alta dos motoristas", fala ele.

Mais do que os trechos mais perigosos, a PRF cita também quais cidades do estado tiveram mais acidentes graves em suas vias em 2022. No topo do ranking, estão os municípios de Feira de Santana (33), Vitória da Conquista (31) e Salvador (15). Dona da segunda posição, Conquista tem em uma de suas vias o local mais perigoso na visão do estudante Pedro Carvalho, 26. Conhecida como Ladeira do Marçal, a serra é temida por muitos na região, segundo ele. "Ali, principalmente quando tem muita neblina, é terrível. Cansei de ver caminhões e carros tombados. Além de ser muito inclinado, o trecho tem curvas muito fechadas e você não pode passar da velocidade recomendada. Se acelera demais, o risco é grande", conta ele.

A PRF não cita problemas estruturais que poderiam ser causa dos riscos para os motoristas nas estradas. A Confederação Nacional do Transporte (CNT), no entanto, em sua pesquisa mais recente sobre as rodovias, publicada em 2021, faz essa avaliação. De acordo com a 24º edição do relatório, na Bahia, 61,2% da malha rodoviária pavimentada avaliada do estado apresenta algum tipo de problema, sendo considerado regular, ruim ou péssima e 38,8% da malha é considerada ótima ou boa. A pesquisa identificou ainda 164 pontos críticos no estado, com 141 trechos com buracos maior que um pneu, mas não especifica onde estão localizados esses pontos.

Infrações mais cometidas

Respeitar as regras de trânsito tem sido o problema dos baianos. Durante o feriado de Corpus Christi, 4.213 condutores foram autuados pela PRF por cometer diversas infrações. No ranking de imprudências, quem lidera é a ultrapassagem proibida, com 1.076 motoristas autuados, o que representa mais de oito flagrantes por hora durante o feriado prolongado. O não uso do cinto de segurança gerou 297 autuações e 109 motoristas que assumiram o volante depois de consumir bebida alcoólica foram autuados.

Porém, quando o assunto é infração no trânsito que provoca acidentes com o óbitos, quem puxa fila em 2022 são as seguintes imprudências: velocidade incompatível com 28 registros, trânsito na contramão com 25 e ultrapassagem indevida com 22 ocorrências. Tendência que deve se manter no São João, segundo Mário Henrique, policial rodoviário federal e chefe do núcleo de comunicação da PRF. "Essas são as três principais também em feriado porque as pessoas acabam por praticar as infrações para chegar mais rápido ao destino. O feriado de Corpus Christi é um exemplo, já que tivemos mil autos de ultrapassagem em locais proibidos", afirma. 

No caso de trânsito na contramão e ultrapassagem indevida, a situação é ainda mais complicada já que as infrações são as principais responsáveis por colisões frontais, o tipo de acidente mais letal. "Colisão frontal em rodovia quase que sempre, em rodovia, é bem desastrosa por conta da questão da velocidade. De 1° de janeiro até aqui, esse tipo de acidente foi o que mais causou óbito nas vias do estado", cita Mário Henrique. Em relação a mortes nas estradas da Bahia, 81 foram por colisão frontal, 36 por atropelamento de pedestre e 26 por colisão traseira. Saída do leito carroçável com 22 e colisão transversal com 18 ocorrências fecham a lista dos cinco acidentes com vítimas fatais este ano. 

Como viajar com segurança

Para quem vai pegar a estrada, todo cuidado é necessário. Antônio Neri, gerente de trânsito da Transalvador, indica que o cuidado deve começar antes mesmo de sair da garagem. Ele afirma que quem for dirigir deve dormir e se alimentar bem antes, além dos cuidados com o carro. "Com relação ao veículo, é fundamental se preocupar com ítens obrigatórios como o limpador de parabrisa nesse período chuvoso, toda revisão de troca de óleo e filtro, se preocupar com os pneus que não podem estar muito gastos para evitar problemas e a manutenção geral do carro que deve estar em dia", fala.

Após iniciar a viagem depois de se preparar da maneira correta, Neri orienta também sobre os cuidados que são importantes ao longo das vias. Ele alerta que a maioria dos acidentes se dão por uma infração específica: "Não ultrapassar a velocidade máxima e não fazer ultrapassagens perigosas, seguindo a sinalização horizontal nas estradas. Se não conhecer a estrada, mantenha a velocidade reduzida para lidar com surpresas. Bebida nem pensar e deixar o celular de lado também são atitudes importantes", completa.

Os trechos mais perigosos:

Na BR-324 – Salvador-Feira de Santana (sentido decrescente)

- Entre os quilômetros 574 ao 551 – trecho com aclives e declives.
- Entre os quilômetros 543 e 518 – atenção às rotatórias, reduza a velocidade;

Na BR-116 – Sul (Rio-Bahia)

- Entre os quilômetros 446 e 452 – trecho em obras de duplicação;
- Entre os quilômetros 459 e 466 – trecho em obras de duplicação;
- Entre os quilômetros 545 e 600 – trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;
- Entre os quilômetros 600 e 639 – perímetro urbano de Jaguaquara do Km 628 ao 638;
- Entre os quilômetros 639 e 648 – trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;
- Entre os quilômetros 569 e 579 – perímetro urbano de Jequié, atenção;
- Entre os quilômetros 710 e 740 – trecho de serra, atenção às curvas e ultrapassagens proibidas ou inseguras;
- Entre os quilômetros 740 e 750 e entre os quilômetros 773 e 780 – perímetro urbano, atenção;
- Entre os quilômetros 808 e 818 – perímetro urbano, atenção;
- Entre os quilômetros 828 e 830 – perímetro urbano, atenção;
- Entre os quilômetros 830 e 900 – reduzir velocidade, cuidado com ultrapassagens proibidas ou inseguras;
- Entre os quilômetros 900 e 912 – perímetro urbano de Cândido Sales, atenção;
- Entre os quilômetros 912 e 933 – reduza a velocidade, cuidado com ultrapassagens proibidas ou inseguras.

Na BR 116 – (Norte)

- Entre Km 364 e Km 355 – Perímetro urbano de Serrinha;
- Cuidados ao trafegar à noite – pode haver animais ao longo da via
- Entre Tanquinho e Capim Grosso (Km 480) e Capim Grosso (Km 360) pequenas curvas verticais (lombadas) dificultam ultrapassagens, além de haver a possibilidade de animais na via.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.