Segunda, 24 de Janeiro de 2022
28°

Chuva fraca

Salvador - BA

Coronavírus Coronavírus

Vacina para crianças está prevista para chegar essa semana em Salvador

Pais precisam cadastrar os filhos nos SUS para receber o imunizante contra covid

11/01/2022 às 21h12 Atualizada em 11/01/2022 às 21h19
Por: Redação Fonte: Correio
Compartilhe:
(Shutterstock)
(Shutterstock)

As vacinas ainda não chegaram, mas o esquema já está todo armado. Nesta segunda-feira (10), a Prefeitura de Salvador divulgou o planejamento para a vacinação das crianças de 5 a 11 anos, autorizada pelo Ministério da Saúde em 5 de janeiro. Serão 65 pontos de imunização e os postos vão funcionar das 8h às 18h.

Em toda a Bahia, são 1.447.163 crianças nessa faixa etária registradas no Sistema Único de Saúde (SUS), sendo 149.214 delas em Salvador. É possível consultar o nome da criança ou fazer o recadastramento através do portal da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ou presencialmente, em uma das 155 unidades básicas da rede municipal, de segunda a sexta, a partir das 8h.

No caso das crianças que não têm cartão SUS de Salvador ou estão com cadastro em outra cidade, os pais ou responsáveis devem procurar uma unidade da prefeitura-bairro para conseguir o documento ou fazer a transferência de domicílio. Para esse serviço, é preciso fazer agendamento pelo site do Hora Marcada.

No momento da vacina, além dos originais e cópias dos documentos do adulto e da criança e do cartão de vacina, será necessário apresentar uma declaração de um dos pais autorizando a proteção. A declaração pode ser preenchida e assinada no ato da vacina ou impressa no site da SMS, para quem preferir levar pronta.

Na casa da recepcionista Ana Virgínia Lima, 42 anos, todos já estão imunizados, com exceção do pequeno Lucas, 9 anos. A mãe contou que o garoto está ansioso para receber a vacina, mas está mais empolgado pela novidade do que propriamente pela proteção.

“Meu esposo o levou no dia que foi tomar a vacina, eu também levei na minha vez, e ele foi também com o irmão mais velho. Ele está vendo os primos tomando e postando foto e comentando, então, está empolgado. A gente já explicou porque é importante ele tomar a vacina e ele entendeu, mas tem esse outro lado que a criança adora”, contou.

A vacinação de crianças foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro, mas o Ministério da Saúde só autorizou a aplicação das doses no dia 5 de janeiro.

O prefeito Bruno Reis (DEM) contou que fará ações para tornar o dia lúdico e que uma campanha será lançada com o tema ‘Dia das Crianças é Dia da Vacina’ para incentivar os pais. Estão previstas participações do Le Cirque, atrações do Programa Ruas de Lazer e Anderson Martins DJ. Além disso, os profissionais de saúde estão sendo capacitados para realizar os atendimentos aos pequenos.

"Nossa expectativa é que até o final da semana possam chegar a Salvador [as doses] e vamos iniciar de imediato a vacina para as crianças para todos aqueles pais que quiserem vacinar seus filhos de 5 a 11 anos", afirmou o prefeito.

Objetivo
A meta é proteger 60 mil pessoas no Dia das Crianças, Dia da Vacina. Será usado o imunizante da Pfizer, em uma dose com 0,2 ml e composição específica para esse grupo etário. A vacina da covid não será administrada junto com outros imunizantes do calendário infantil. A recomendação, por precaução, é fazer intervalo de 15 dias.

A pediatra e presidente da Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape), Dolores Fernandez, disse que as vacinas permitiram o controle de doenças que assolavam a população no passado e que todos os imunizantes do calendário vacinal precisam ser defendidos e aplicados.

“Graças às vacinas conseguimos erradicar a poliomielite, a varíola e o sarampo. Os conhecimentos sobre as vacinas são de muito tempo e a da covid virá para o calendário vacinal, assim como aconteceu com as outras. Ela é segura, já foi aplicada em vários países e, o mais importante, com bons resultados”, disse.

Ela destacou a imunização dos adultos como um exemplo da segurança da vacina, onde a gravidade dos casos diminuiu e os efeitos colaterais foram ínfimos, e lembrou que a alta na ocupação de leitos pediátricos – Salvador está com 95% de ocupação – se deve a saída das crianças do isolamento.

“Por isso, é importante mais do que nunca a vacinação. Uma criança não vacinada tem quatro vezes mais chances de desenvolver formas graves da doença. É preciso conversar com os filhos e lembrar que vacinação é caso de saúde pública. Eu me vacino e você se vacina, não por mim ou por você, mas para que toda a comunidade seja protegida”, disse.

A taxa de ocupação dos leitos pediátricos no estado é de 83%. O doutor em microbiologia e professor da UniFTC, Hebert Pina, contou que a desinformação é tão letal quanto o vírus. Ele pediu que os pais busquem fontes confiáveis antes de tomar decisões e que vacinem os filhos.

“As crianças sempre se vacinaram contra várias doenças e as vacinas também tinham efeitos colaterais em suas composições, como acontece com todo tipo de medicamento. O que temos visto é uma distorção, interpretações equivocadas dos estudos científicos que são apresentadas como sendo estudos”, disse.

O biomédico citou como exemplo a afirmação de que a miocardite (inflamação da camada média da parede do coração), apontada como um efeito colateral da vacina, será desenvolvida na criança que for imunizada, deixando de ser uma exceção para se tornar uma regra. “Foram feitos teste, no Brasil e fora do Brasil, que garantem a segurança dos imunizantes. É precioso tranquilizar os pais e que eles entendam que precisam proteger os filhos”, disse.  

Prazo
Procurado, o Ministério da Saúde disse que encomendou mais de 20 milhões de vacinas pediátricas da Pfizer. Os imunizantes serão aplicados em duas doses, com intervalo de oito semanas da primeira para a segunda aplicação.

“A previsão é que essas unidades sejam entregues no primeiro trimestre deste ano. Até o fim de janeiro, a estimativa é que 4,3 milhões de doses cheguem ao país. A primeira remessa desembarcará no Brasil em 13 de janeiro, com novas entregas programadas para os dias 20 e 27 deste mês”, diz a nota.

Desde que a pandemia começou até dezembro do ano passado, foram registradas 311 mortes de crianças de 5 a 11 anos por Covid-19 no país. Foram 162 óbitos em 2020, e 149 em 2021.

Vacinação em Salvador:

  • Antes de se dirigir ao posto de imunização confira se seu filho está registrado no SUS de Salvador, através do portal da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ou presencialmente nas unidades.
  • Caso não esteja registrado ou o registro seja de outra cidade, faça esse cadastro nas prefeituras-bairro. É necessário levar documentação dos pais e da criança, e comprovante de residência.
  • No dia da vacina não esqueça: máscara, documentos dos pais, da criança, originais e cópias do cartão de vacina e uma declaração de um dos pais autorizando a proteção. A declaração pode ser assinada no ato da vacina ou impressa no site da SMS e preenchida em casa.
  • A documentação exigida dos pais é a carteira de identidade, CPF, comprovante de residência e Cartão SUS. Para as crianças, é necessário apresentar certidão de nascimento e cartão SUS (se houver).
  • Depois da imunização contra a covid, a criança deve esperar 15 dias para receber qualquer outro tipo de vacina. A segunda dose será aplicada oito semanas após a primeira.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.