Sábado, 21 de Maio de 2022
27°

Nuvens esparsas

Salvador - BA

Política Política

‘O governo do PT na Bahia fecha 2021 com os problemas ainda mais agravados’, avalia Sandro Régis

Líder da oposição cita números negativos na segurança pública, educação e desemprego

22/12/2021 às 17h06
Por: Lohan Santana
Compartilhe:
Foto : Divulgação
Foto : Divulgação

O deputado estadual Sandro Régis (Democratas), líder da oposição na Assembleia Legislativa (ALBA), afirmou nesta quarta-feira (22) que os graves problemas da Bahia durante os governos petistas estão se agravando. Ao fazer uma avaliação do governo Rui Costa (PT) no ano de 2021, Régis afirma que a gestão atual não tem conseguido apresentar soluções eficazes para os desafios que se apresentam, citando questões na segurança pública, educação e desemprego.

“Os problemas tamanho G da Bahia já se tornaram GG. Nós seguimos na liderança do ranking de homicídios, com o pior ensino médio do Brasil, no topo do desemprego no país e ainda como o estado com maior número de pessoas extremamente pobres. Infelizmente, nós fechamos 2021 ainda sem muito a comemorar, pois o governo do PT já se mostrou incompetente para resolver estes problemas que afetam diratemente a vida das pessoas”, disse.

Régis ainda lembrou que de promessas não cumpridas do governo, a exemplo da ponte Salvador-Itaparica. “Essa ponte vem sendo prometida desde o governo de Jaques Wagner e até agora nada. Chegaram a dizer que ficaria pronta em 2013. Isso é um desrespeito. E assim como a ponte há outras obras pelo interior que nunca saíram do papel, como intervenções de duplicação e recuperação de estradas”, afirmou.

O deputado pontuou que a Bahia ocupa apenas o 18º lugar no Ranking de Competitividade dos Estados, feito pelo Centro de Liderança Pública e pela Tendência Consultoria Integrada. Nas áreas de educação, segurança, infraestrutura e potencial de mercado, o estado fica abaixo da posição 19ª entre as unidades federativas do país.

“O governo não trabalha para facilitar a atração de investimentos e também não dá apoio à nossa produção agropecuária, que representa quase 25% do PIB baiano. Nós precisamos de um projeto que priorize educação e segurança, que identifique as potencialidades do nosso estado e faça com que a Bahia se torne um celeiro de investimentos”, ressaltou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.